Rumos da religião




No dia 15 de novembro a grande totalidade dos umbandistas celebra o mito de anunciação ou surgimento da religião através de uma das escolas umbandistas ao qual conhecemos como escola Zelista.

Neste ano de 2021, contados 113 anos. Esta escola teve sua contribuição para religião de forma inegável, outrossim Caboclos e Pais Velhos já se manifestavam em outros cultos ou mesmo religiões afro-brasileiras antes mesmo do mito de fundação dando força a uma visão angolista de culto aos ancestrais ilustres. Mas estes fatos podemos discutir em outras ocasiões e entender no contexto atual qual os rumos da religião.

E antes de qualquer coisa, qual o fundamento desta religião? Unicamente a pratica não pensada de uma suposta caridade ou preferimos uma religião em que as pessoas possam enxergar quem de fato elas são e a partir disto estabelecer aspectos preventivos, fazer boas escolhas, vencer o racismo estrutural e que possam ser solidárias?

É muito? Isso porque não pedimos para que deixem de ser hipócritas. Vamos pensar que a prevenção é melhor que a correção e partir disto trazer bons caminhos. É melhor um bom passe do que tratar processos emergenciais.


É melhor poder oferecer algo do que pedir desesperadamente.


Mas e o meio ambiente? Vamos falar um pouco dele.


Será que precisamos da cultura do lixo, da oferenda na pracinha onde tem o espaço de convivência da comunidade?


Panos, alguidás, garrafas e quartinhas como oferenda no meio do passeio público. Ainda precisamos disso? Deixamos para a reflexão.


E a religião conversa com a tecnologia?

O processo pandêmico fechou durante um período os terreiros, mas as pessoas puderam se encontrar através de grupos de mensagens, reuniões on-line com uso de aplicativos de imagens, lives e outras formas corroborando com a cibercultura. Mas onde se faz a religião? É na internet?

Ah , a internet ajuda, mas o melhor lugar sim é no templo, no terreiro, com o sacerdote, pai ou mãe espiritual.


De fato é o melhor lugar. E como é.


A religião é associada erroneamente a bruxedos, trazer a pessoa amada, fazer amarração, entre outras tantas porcarias da cultura da ignorância.


Sonham os que compram ilusões e os que vendem pagarão um imposto caro na execução cármica.


Pedimos aos ancestrais ilustres paz e sabedoria. Vamos vencendo Saravá !! Mestre Odéosí

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square